quarta-feira, 15 de junho de 2016

Olá!


 "Faça aquilo que gosta e não terá de trabalhar um único dia de sua vida"
Confúcio


Eu realmente acredito nisto. Tanto que na maioria das vezes, passar um orçamento, ou colocar preço em algo que faço cansa-me mais do que o "trabalho" em si.
Seja a lidar com os fornecedores,  a amassar arames, a colar fitas, criar a papelaria, fazer lembrancinhas, cuido para que cada detalhe seja perfeito, como se a festa fosse a minha própria festa.  

Lembro-me de uma vez em que fiz um teste vocacional, e a minha inclinação foi para tarefas, em vez de pessoas. Como eu fiquei decepcionada ao pensar que aquele resultado dizia que eu era mais apegada a coisas do que a pessoas. Ainda em tempo, estou a aprender que, independente das tarefas, é possível ter as pessoas em primeiro lugar. E isso pode acontecer quando a tarefa visar a felicidade de outra pessoa, que não eu mesma.
E sim, posso alegrar-me e satisfazer com o meu trabalho, quando o resultado for a alegria e a satisfação de quem confiou a mim a tarefa.

Ainda em aprendizado constante, eu sigo com as tarefas adiante...